top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Memórias & Legados, textos de uma cidade privilegiada (24/02/2020)



Aproveitei esse último final de semana para colocar minha leitura em dia, divaguei por vários temas, repentinamente tenho em mãos um livro que trouxe da minha cidade natal, Pombal/PB, na minha estada por lá no início do mês. Trata de uma obra escrita por Clemildo Brunet de Sá, amigo e conterrâneo, radialista, jornalista e amante da terra em que nascera na radio pombalense e responsável pela implantação, em definitivo, dessa atividade na cidade, professor e orientador emérito de jovens talentos que passaram pelas suas mãos na década de 1960.


Refiro-me a esse profissional com muito carinho e respeito, tanto pelo profissional como pelo Ser humano, foi ele meu primeiro patrão, ainda menor de idade, 14 anos, enquanto atuava no “Lorde Amplificador”, projeto embrionário que se transformaria em rádio e muita história de muitos profissionais de sucesso no interior do Brasil.


Estive com o amigo por alguns minutos apenas, o que foi uma pena, precisava ficar mais tempo em sua casa, onde fui recebido, para tratar de assuntos que continuaram pendentes, eu tinha compromissos paralelos, por conta da exiguidade do tempo. Mesmo assim fui agraciado com um exemplar de sua última obra, “Memórias e Legados”, dedicado ao mundo da comunicação, político e cultural, da nossa terra.


Somente hoje tive oportunidade de abrir o livro e sentir no decorrer da leitura a felicidade de uma terra que tem sob seu julgo e guarda, por excesso de amor, pessoa extraordinária tal qual Clemildo e tantas outras figuras exponenciais e vários segmentos dentro da sua sociedade com características produtivas e resilientes. As pessoas e fatos, principalmente as pessoas eu as conhecia, boa parte delas, muitas das quais fizeram parte da minha infância, uns próximos, outros mais distantes, Portando sei da veracidade de muitos relatos feitos pelos entrevistados ou não ao nosso Jornalista mor.


Descobri na leitura dos textos contidos nessa obra de registros e memórias dos sertanejos nascidos no sertão paraibano que Pombal tem mais gente ilustre que imaginara e o mais importante, outros tantos, certamente não foram inseridos nesse contexto e textos para que a obra não ficasse prolixa, portanto, enfadonha. Acredito, em nova oportunidade seremos premiados pelo autor com novas narrativas tão brilhantes quanto essas já expostas e catalogadas.


Confesso, não foi surpresa a riqueza nas narrativas do nosso ilustre autor, com clareza e objetividade foi sucinto e elucidativo, sereno e ao mesmo tempo profundo, mesclando a clarividência e a saudade daqueles que nos deixaram e foram viver em outra dimensão, junto do pai eterno colocando luzes nos caminhos que nos levarão ao convívio de Deus.


Depois de 50 anos e duas visitas feitas ao meu chão querido, depois de 1970, uma visita em 2007 e a última agora, fiz uma promessa de retornar em breve a Pombal para visitar os amigos e parentes que não tive tempo de visita-los e poder fazer um texto, mesmo que seja para guardar comigo, farei, certamente, algumas críticas positivas e negativas sobre as coisas que eu presenciei na paisagem antigamente bucólica, hoje nem tanto, afinal, os tempos mudaram e com eles as pessoas cresceram, foram embora e outras viraram saudades, como saudade é o que fica na memória de todos nós com o avançar do próprio tempo.




Genival Torres Dantas

Poeta, escritor e Jornalista


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page