top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Mais uma semana de muitos desencontros e incertezas (22/08/2021)



O Fato Sem Politicagem 22/08/2021


Depois que os EUA, como sempre faz, largaram o Afeganistão ao Deus dará, lembrando muitas situações de paridades convergentes e resultados aparentes. Numa crueldade humanitária, sem medir consequências ou resultados prováveis, com a retomada do governo pelo talibã (grupo fundamentalista) depois de 20 anos, seus habitantes voltaram à mesma situação vivida nas mãos dos sanguinários e bárbaros, travestidos de ovelhas, mas com a alma embebecida de ódio.


As primeiras informações era que o talibã voltava de espírito renovado, aberto ao diálogo, democrático, com princípios humanitários aguçados, a realidade nos mostrou que a índole malévola do grupo continua inalterada, aliás, mais intensa, a procura daqueles que serviram ao governo deposto é uma constante, tanto é que as fugas de Cabul são constantes e de forma humilhante, imagens, no início, de pessoas tentando alcançar seu intento levou muita gente a cair de aviões.

Essa situação é um paradoxo para um planeta que tenta se justificar como humanos, pior ainda, outras regiões estão sendo sacudidas, não diretamente pela ação do homem, mas por vingança da natureza, com suas reações, pelas chuvas, abalos sísmicos, tufões não podem esquecer-nos do Haiti que, lamentavelmente, tem sofrido barbaridades nos últimos dias, não queremos ser vítimas, nós estamos no meio de uma torrente de incertezas diversas, sem paliativos aparentes.


Falando de Brasil, a nossa pandemia sanitária é uma das muitas situações adversas que tem nos maltratado com soberba e desigualdade. O Coronavírus tem nos afetado de forma mais amena, os números nos mostram que estamos numa fase decrescente em termos de contaminação e mortes, muito embora não devesse esquecer que ainda estamos sendo afetados por uma nova cepa, cruel e daninha, é preciso que fiquemos atentos sem extrapolar limites já estabelecidos.


O mais doloso vem por conta dos nossos atores políticos e componentes dos três Poderes, protagonizam um espetáculo dantesco, com traços de superioridade, orgulho, soberbos e indiferença para com os demais membros da República denominada de Brasil. Esses semideuses, eruditos nas suas atitudes, tornam a sobrevivência dos brasileiros comuns uma tragédia de difícil solução, eles simplesmente são absolutos na nossa terra arrasada por eles.


O Executivo tentando demonstrar força se esfacela mais ainda, numa tentativa vã de fustigar o Judiciário, pede no Senado Federal, a cassação do ministro Alexandre de Morais. Com esse fato, o presidente Bolsonaro, consegue de uma só canetada, unir as forças, mesmo que antagônicos, em defesa do ministro Moraes, entendendo que ele não seja uma unanimidade, juntaram em um só balaio, ex-presidentes, ex-ministros da Justiça e até mesmo os membros do STF.


Nesse atual estágio político não adiantará pedir impeachment do presidente Bolsonaro, nem de qualquer ministro do STF, a situação é muito mais séria. Tudo começa por uma mudança de comportamento do eleitor brasileiro, esquecendo esses mitos e falsos profetas que se apresentam em épocas pré-eleitorais, com o velho discurso de protetores dos pobres e oprimidos, devemos sim, colocarmos a mão na consciência e votar em pessoas sérias sem mácula no passado.


O que temos observado é um desfile de pessoas objetivando um cargo eletivo, para proveito próprio, a sequência é deplorável, esses mesmos políticos indicam os membros o STF, apenas para chama-los de seus referendados pelo próprio Congresso Nacional, virando uma corrente dos escolhidos, maratona dos desalinhados com a população. Esse tipo de procedimento tem que acabar, nem que seja preciso votar uma nova Constituição, a que temos simplesmente ficou velha antes do tempo.


É preciso coragem, a maioria desses políticos que ocupam os cargos eletivos não nos representa mais, são pessoas viciadas no ganho fácil e nas mordomias que o Estado oferece. 2020 será um ano de eleições, devemos começar por cima, esquecendo os que já nos fizeram grande mal, enquanto como autoridades estiveram, vamos escolher uma nova sociedade política, começando pelos maiores problemas que temos em ação, esqueçamos Lula e Bolsonaro, coragem gente.


Ainda acredito que o Brasil com mais de 210 milhões de habitante tenha um mínimo de cidadãos de caráter, com honestidade acima de qualquer suspeita e que possa administrar as causas públicas sem a necessidade de tirar proveito do cargo, mais ainda, no meio Jurídico tem que haver juízes competentes o suficiente para serem indicados, de uma forma diferente, ao STF e outras casas. Para tanto, é preciso que mudemos a forma de seleção, mudar é preciso e urgente.


Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista







3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page