top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Verdades e mentiras na política e governos (13:12:2019)



Muita gente discute ideias e regimes políticos como se entendesse de ideologias fundamentadas em suposições ou achismos idiotas sem, pelo menos, tentar entender um pouco dos sistemas que moveram ou movem o nosso planeta. Há certa confusão quando se fala em comunismo, esse pensamento é identificado, pelos menos informados, como sistema de governo, na realidade o sistema adotado pelos comunistas é o socialista e em diversas classificações.


O socialismo que os desavisados tendem a interpretar como o poder final na mão do povo, efetivamente, trata-se da entrada do povo no poder com divisão de responsabilidade, deveres e obrigações entre Estado e população. Nessa modalidade o Estado tem o controle da situação, havendo o engano que é o povo quem manda no sistema, esse equívoco é generalizado principalmente nos países mais pobres e na América do Sul e povos culturalmente modestos.


Outra ideia errada é a igualdade entre as pessoas pela divisão das riquezas existentes, nesse caso há o conceito de que não precisa fazer esforço para conseguir se dar bem na vida, não se explica quando as riquezas acabarem, o que será feito da Nação dilapidada pelos novos proprietários ou sócios e os antigos detentores dos valores da Nação, ou ricos, esses nada farão para reposição de patrimônio, pois tudo que for conseguido fatalmente será dividido com os preguiçosos da Nação e esses ficarão na expectativa de ganhos pela divisão das riquezas produzidas, uma verdadeira teia de incautos alienistas.


Temos ainda uma terceira mão construída a partir do capitalismo democrata republicano que é o liberalismo. Esse sim é o sistema que tudo que for conseguido virá pela meritocracia, ou seja, pelo esforço individual, se chegando ao sucesso social. Essa é uma opção literalmente indesejável pelos socialistas que normalmente só existem nas ditaduras e seus tentáculos, os verdadeiros adoradores do menor esforço, tentam viver à sombra dos outros.


O que não podemos esquecer nessa hora é a presença da Democracia e a República, normalmente caminham juntas. Muito embora tenham surgidas na mesma época, em países diferentes, ambas bifurcam na mesma direção com respeito ao ser humano e seus esforços empreendidos, com liberdade total aos ganhos materiais, zelo pelas famílias e verdadeira glorificação aos conhecimentos e educação adquirida.


A democracia surgida na antiga Grécia substituiu o império onde o poder advinha do imperador e passou a ser emanado do povo, representado pelos seus eleitos, numa votação quantitativa e não qualificativa, com a escolha de um administrador entre os eleitos, normalmente vindo da camada abastada, esse cuidava da parte administrativa do Estado, ficando a supervisão aos demais escolhidos, uma espécie de Congresso.


A República teve origem na Roma antiga, sendo um sistema de igual mérito de escolha da Democracia, dentre os escolhidos pela classe privilegiada, economicamente, era sorteado dois nomes que ficavam como Cônsules. A grande massa revoltada se insurgiu e foi constituída uma nova classe como seus representantes.

O modelo brasileiro funciona de uma forma equivalente, temos o Congresso, constituído pelo Senado, representante do Estado, e a Câmara dos Deputados representando o povo, sistema bicameral, ambos os Poderes com seus representantes escolhidos pela população.


Com o tempo, naturalmente, houve uma fusão e as duas Casas do nosso Legislativo representam tanto o Estado como a população. O executivo comanda a administração pública e o Judiciário é o Poder mediador, colocando ordem nas Casas. Infelizmente temos os Poderes constituídos, no Brasil, totalmente deformados e contaminados pela corrupção que invadiu os nossos espaços e nos três níveis de governo. Hoje o Judiciário vem sendo atacado pela população pela prática de corrupção de alguns membros daquele poder, verdadeiro vexame nacional.


Essa anomalia vem desde o começo da República ampliado no governo do PT (Partido dos Trabalhadores), formado por uma quadrilha que vem operando desde os anos de 1960, muitos dos seus elementos reconhecidos como antigos sequestradores, assassinos, assaltantes de bancos e outras deformações de personalidades, tendo conseguido o controle do País.


Ao mesmo tempo, fizeram o maior assalto a uma República Democrática em toda história política do planeta, estupraram a Pátria, prostituíram nossas Universidades, quebraram bancos e empresas estatais, em conluio com empresários mal intencionados, ou desonestos, aplicaram golpes em companhia de funcionários públicos, desviaram dinheiro para financiamento de ditaduras em outros países e o próprio financiamento da perpetuação do Poder em nosso País.


Tivemos como resultado nefasto da administração petista a condenação e prisão do líder do PT, o ex-presidente, reconhecido mundialmente como o maior calhorda que governou um País no último milênio até hoje, esse mau elemento é o degenerado Luís Inácio Lula da Silva, cognominado larápio mor da República brasileira.


A notícia que temos é que esse elemento, após ser solto, passou a visitar Estados e Municípios na tentativa de se redimir junto ao seu antigo eleitorado e o que tem conseguido e passar vergonha por onde tem andado, o que é profundamente lamentável para uma pessoa que comandou o País por quatro mandatos, direta e indiretamente e hoje está jogado ao ostracismo político por sua culpa e responsabilidade ou irresponsabilidade.


Genival Torres Dantas

Poeta e Escritor

genivaldantasrp@gmail.com

1 visualização0 comentário

Comentarios


bottom of page