top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Quando obedecer é uma questão de bom senso (11/04/2020)



Para falarmos de pandemia com a letalidade da Coronavírus, ou de extensão maior, temos que buscar ao longo da história aquelas que marcaram a humanidade em todo seu tempo. Pelos resultados das ocorrências informadas em todo planeta temos sentido que, caso contribuamos com disciplina da população e assertividade dos nossos governos e, principalmente, da nossa classe científica, sairemos dessa crise o mais rápido possível.

Gostaria de elucidar algumas passagens dessas ocorrências de alcance mundial vitimando muitas vítimas, como verdadeiras tragédias humanas:

1) A gripe Espanhola (influenza), disseminada por todo o planeta entre 1918 e 1920, ocasionando a morte de aproximadamente 50 milhões de pessoas, dos 500 milhões de infectados, número correspondente a ¼ da população, à época que era de 2 bilhões. O Brasil perdeu 300 mil brasileiros para a pandemia, dentre as vítimas estava o Presidente Eleito Rodrigues Alves, nem mesmo tomando posse;

2) A peste negra ou peste bubônica, atingindo a Eurásia, século XlV, 1347/1351, dizimando 1/3 da população, 24 milhões de habitantes, há historiadores que acreditam na perda de metade da população, prefiro ficar com os mais otimistas;

3) Inundações na China, como é sabido a China convive com desastres naturais, furacões, chuvas, terremotos e inundações são os transtornos que afetam os chineses. Em 1931 a região central do País se recuperava de dois anos de seca e a região foi castigada por chuvas, verdadeiro dilúvio, ocasionando o transbordamento dos 3 maiores rios do país, com inundação em 100 mil km² do seu território e ocasionando a morte de 4 milhões de habitantes, entre julho e novembro de 1931;

4) Tsunami no Oceano Índico – era 26 de dezembro de 2004, na costa oeste da Indonésia, terremoto submarino provocou tsunamis de grave proporção, cidades da costa de 14 países do sul da Ásia foram completamente devastadas. Há uma estimativa de 230 mil mortes e 1,5 milhão de pessoas ficaram desabrigadas, os países mais afetados foram, Tailândia, Sri Lanka, Índia e Indonésia.

5) Grande fome chinesa – Entre 1948 e 1952 a fome que abateu sobre o território chinês fez aproximadamente 45 milhões de vítimas fatais decorrente de doenças naturais e política comunista do governo local;

6) A primeira grande guerra mundial provocou a morte de 8 milhões de soldados e 6,5 milhões de civis, a guerra considerada mundial ficou restrita aos conflitos na Europa, 1914/1918

7) Morrer de fome (Holodomor) – Entre 1932 e 1933, Ucrânia, ocorreu o genocídio por falta de comida, forçado por Josef Stalin, período que o país não era mais independente e fazia parte da Rússia. Foi estimado em 12 milhões de mortes resultante dessa tragédia humanas;

8) Segunda Guerra Mundial - quando lembramos a segunda guerra mundial somos remetidos automaticamente ao nome de Adolf Hitler, o nazista conhecido também como “chorume da escória humana”, esse verme contaminou a mente dos alemães que passaram a odiar os judeus, juntos, Alemanha, Itália e Japão trucidaram 60 milhões de vidas, na formação do Eixo que guerrearam contra os Aliados, formados pelo Reino Unido, França e EUA. Com a derrota da Alemanha e da Itália e o bombardeio no Japão com a queda das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão, os conflitos terminaram em 1945, tendo sido iniciado em 1939.

Os números referendados são apenas para nos lembrar de que toda tragédia tem começo meio e fim, ainda estamos no começo de uma crise, entretanto, confiando na eficiência e eficácia dos nossos técnicos e cientistas, incansáveis batalhadores em busca de soluções para o mal que nos aflige Coronavírus, e conforme suas previsões mais otimistas sairemos dessa situação o mais breve possível, mesmo com a presença de alguns governos desavisados e desorientados por todo planeta.

Sem nenhum conhecimento da matéria teimam em tentar impor pontos de vista sem critérios técnicos, dentre esses podemos citar o Presidente Trump do EUA, e o Presidente Bolsonaro, o presidente americano já jogou a toalha e segue o curso normal da lógica, enquanto o nosso presidente continua se achando no direito de opinar em um assunto que ele não tem nenhuma autoridade científica ou mesmo técnica.

O nosso Ministro da Saúde fundamentado nos seus conhecimentos e espelhado nas atitudes da OMS (organização mundial da saúde) tem trabalhado na orientação da população, mesmo tendo de se contrapor ao seu chefe Bolsonaro e a sua trupe que orquestram e tentam desestabilizar o trabalho meritório do nosso Ministro, simplesmente os inimigos do povo procuram espaço no governo sem nenhum mérito apresentado até agora para que possam justificar qualquer credibilidade em seus argumentos.

Mesmo não concordando com o confinamento da forma que está sendo feito, isolamento total dos mais idosos, acredito na flexibilidade de horários, quando, seguindo critérios preestabelecidos até mesmo aos grupos que não oferecem riscos, a pessoa pode ser afastada socialmente sem, entretanto, o isolamento total.

Para efeito ilustrativo, superamos os 1.6 milhão de contaminados e 100 mil mortos pelo Coronavírus, em todo planeta. No Brasil já nos aproximamos dos 20 mil contaminados e passamos das 1000 vítimas fatais, São tem aproximadamente 50% dessas vítimas, sendo: 10 mil contaminados e 496 mortos. Precisamos levar a sério o que dizem nossos orientados técnicos para evitarmos situação tal qual os EUA, hoje já acusaram 2000 mortos em 24 horas, esperamos que esse número seja menor amanhã, quando novo boletim for anunciado.


Genival Torres Dantas

Poeta, escritor e Jornalista


1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page