top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Pandemia, Páscoa e Reflexão, Todos Por Um Mundo Melhor Para Todos (12/04/2020)




A Páscoa, de origem hebraica, que é a celebração da passagem do final do inverno e a chegada da primavera e principalmente, para os cristãos, a ressurreição de Cristo, portanto representa o renascer, a própria vida. Nesse ano de 2020 temos muitos motivos para pedir e comemorar ao mesmo tempo. Estamos atravessando uma fase de muita dificuldade, no meio de um mar de muita agitação, sem os instrumentos de navegação a bordo, os que tínhamos caíram ao mar, dessa forma à mercê dos ventos e das ondas, totalmente à deriva; estamos ao sabor da pandemia do novo Coronavírus e seu humor não é dos melhores.


Nessa hora somos todos do mesmo tamanho, temos o mesmo valor para os instrumentos sociais e religiosos que medem a nossa importância, não há diferença do nosso nível cultural ou social, servimos ao mesmo Deus. Não importa a língua que falamos a cor da nossa pele e o brilho da nossa roupa, menos ainda o saldo bancário de cada um, ou mesmo se não temos conta ou poupança bancária, estamos no meio de muita incerteza, não há ninguém fora do barco a nos jogar a corda para atracarmos no primeiro porto identificado.


Enquanto mantemos a lucidez das horas e o que somos é muito bom que permaneçamos conscientes, o sucesso da nossa travessia depende muito mais de nós do que de elementos externos, não adiante ficarmos zanzando de um lado para outro, todos ao mesmo tempo e em disparada. Somos um rebanho de animais, muito embora racionais, costumamos usar a nossa individualidade para nos safarmos de um perigo iminente, mesmo que esse gesto crie dificuldades a terceiros.


O domingo de Páscoa está chegando ao seu final, enquanto estamos descansando do almoço, a maioria distante dos seus parentes e amigos, por força das circunstâncias, outros isolados sem a refeição desejada, outros recolhidos em um leito hospitalar, recolhido para tratamento qualquer de saúde, uma parte isolada por contaminação do Coronavírus. Confesso que por se tratar de uma situação absolutamente nova para a minha geração, apesar da tristeza dos fatos fiquei contente por descobrir o quão solidário é o espírito da humanidade, mormente do brasileiro.


Espero que esse lado bom do ser humano seja mantido e estendido aos tempos de paz e harmonia entre os homens, afinal a humanidade anda necessitada de mais estreitamento entre seus pares, estamos muito distantes dos nossos irmãos, vizinhos, parentes e amigos. Temos nos mantidos distantes dos problemas alheios, ficamos buscando soluções e absortos nos nossos casos quando o nosso vizinho do lado anda mergulhado numa tragédia de difícil solução. Vivemos em tempo de correria, lutamos pela obtenção e conservação de valores materiais e esquecemo-nos do nosso lado espiritual.


Tenho certeza que o mundo como um todo, vai aparecer do outro lado dessa pandemia como uma população mais humana e acordada para uma nova realidade, o mundo continuará o mesmo, o que vai mudar, certamente, somos nós os sobreviventes dessa tragédia humana. Acredito no crescimento do ser humano, muitos vezes há a necessidade de vir à dor para sentirmos o quanto falhos e incompetentes somos.


Aproveitemos, pois, esse momento de reflexão e já comecemos as mudanças que queremos em busca de melhores dias, sem rebeldias, obedientes aos que efetivamente querem o nosso melhor, sem politicagem e sem seleções antecipadas, tratando todos por iguais, como verdadeiramente somos. Sejamos gratos aos que nos fortalece, sejamos humildes quando reconhecemos que não somos superiores a ninguém, não minta para você mesmo e nem mesmo para os outros, não seja atropelado pela sua própria insensatez.


A dor que muitos de nós estamos sentindo é consequência da situação atual, porém a dor da fome e da miséria já se faz presente por muito tempo em muitos lares e até fora deles, refiro-me aos desalojados, moradores de ruas, expostos a toda malignidade dos homens perversos, além da sua fragilidade material que lhe impõe um castigo maior que o ser humano pode sentir que é viver e criar sua família sem a mínima dignidade.


Não vamos deixar que essa chama da solidariedade se apague dentro de nós, não vamos deixar passar fome e sede e o aconchego de um teto para os mais necessitados. Vamos pensar no próximo com mais carinho e doação, mesmo fora de qualquer crise maior, para eles a crise é diária, todo tempo e o tempo todo.

Genival Torres Dantas

Poeta, escritor e Jornalista


3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page