top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Operação desmanche é uma toada beligerante e diuturna (17/05/2021)



O Fato Sem Politicagem 17/05/2021


A situação do brasileiro na administração Bolsonaro fica cada vez mais periclitante, a ausência de comando central no combate da pandemia provocada pelo Coronavírus não é a única pendenga do governo atual contra setores do próprio governo e a esquerda oposicionista, por não ter projeto político para apresentar como alternativa procura usar as falhas administrativas do governo para, de malgrado, criar mais embaraços dentro do atual sistema de governança.


Piorando tudo e mais um pouco, o Executivo e o Legislativo contribuem para o caos total, com aprovação, pela Câmara Federal, da Licença por Adesão e Compromisso (LAC) o Governo Arreganha, definitivamente, o que é de mais penoso para o homem do campo, dentre eles os Índios e os Quilombolas, que perdem de forma cabal algumas possibilidades de manutenção das suas áreas demarcadas, ainda beneficia projetos tipo barragem de Brumadinho (MG).


A Licença por Adesão era uma situação muito limitada, em alguns Estados e com projetos que não interferiam ou impactava no meio ambiente, é falácia delegar aos Estados e Municípios essa autoridade quando fica envolvido toda conservação dos nossos meios mais necessários para sobrevivência do próprio ser humano, nossas riquezas sob e sobre solo não devem ficam expostas da melhor forma em que os exploradores da terra possa se beneficiar de forma quase que direta.



É uma irresponsabilidade acreditar que os inimigos da natureza, aqueles que só pensam no lucro fácil e imediato vai fazer alguma coisa pela preservação das nossas matas e mananciais, conservando o que há de mais puro para os nossos descendentes e o melhor espaço físico para continuidade da raça humana. Exploradores sempre foram assim, usam todos os meios possíveis para enriquecimento próprio, a terra, o Estado e a Nação que procurem seus direitos.


Esse é o pior momento que os defensores do Brasil produtivo sem a perda das suas características e entrega das suas riquezas estão atravessando, além do entreguismo aos detratores e saqueadores das terras, no governo há setores que apoiam essa atitude em nome da desburocratização e impulsionamento do progresso nas áreas mais distantes da civilização, isso representa um engodo ao povo brasileiro, não podemos permitir que isso ocorresse no Brasil.


A prova inconteste que esse governo desalinhado, insipiente, desbaratado e moralmente desclassificado pela sua atuação nefasta no trato com o produtivo, estímulo ao intelecto, provedor da ciência e tecnologia; além da indiferença para com a vida do ser humano, desfazendo até mesmo do infortúnio dos mais necessitados, travando ou até mesmo adiando benefícios que o Estado, por direito, proporciona aos praticamente inválidos na atual conjuntura.


O que mais nos assusta é o grau de insensibilidade do Governo Bolsonaro, ante a tamanha crise sociopolítica que vem ocorrendo com o orçamento deste ano, é para fazer o brasileiro chorar em alemão e soluçar de cachorrinho. Temos um novo determinador de emendas dentro da (Lei Orçamentária Anual) LOA (o Legislativo estabelece as despesas e receitas do ano subsequente e pela Constituição deve ser votada até o final do ano em curso).


O que de fato ocorre é que o Bolsonaro, para alimentar sua base de apoio, leia-se Centrão, grupo independente que vem apoiando governos indiferentemente de sigla ou ideologia política, dessa vez foi inventado um toma lá dá cá diferente e especial; fala-se de três bilhões destinados principalmente, a esse grupo, para aplicações nos seus respectivos currais eleitorais, para compra de tratores e equipamentos agrícolas.


Para suprir outras necessidades o governo teve que reter dinheiro da Saúde e da Educação, essa última mais sacrificada, com corte de R$1 bilhão, teve ainda bloqueio de 13,8% das verbas, deixando apenas R$ 4,3 bilhões para o corrente ano, ou seja, metade do que as instituições de ensino tinham cinco anos atrás. Esse fato criou uma situação de insegurança para as Escolas e Hospitais Universitários, além da classe estudantil e suas bolsas desinfladas.


Maiores informações o leitor pode buscar nas páginas do Jornal O Estado de São Paulo, páginas políticas e Metrópole, dos dias 09/12/13 de maio, corrente. Outros jornais de igual importância e circulação diária estão fazendo referências a esses casos, não obstante farto material na mídia eletrônica. Procurar na mídia sempre final: .org e .gov, são mais confiáveis.


O que é mais difícil é não se ter uma opção diferente, existe um governo em andamento que não nos inspira qualquer solução de continuidade, temos outro pretendente ao cargo que figura numa posição de destaque que já passou pelo cargo e nos deu provas suficientes que não tem capital moral nem técnico para o exercício na função e no cargo, os demais são conhecidos postulantes; todos, figurinhas carimbadas de períodos anteriores e não trazem nenhum projeto político para se apresentarem com uma aposta renovadora, é incrível, mas é real.


Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista







13 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page