top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

O governo com atitude de empáfia contra a jovem Pan só cria cizânia














Novo governo velhas práticas 27/07/2023



A atitude persecutória por parte do governo contra a Jovem Pan, Rádio de conceito inabalável junto aos ouvintes de rádios e hoje telespectadores do seu canal de TV, aliás, um dos poucos canais de TV que ainda continua honrando a Democracia brasileira, a mesmo Democracia sem relativismo e mantenedora da esperança do povo brasileiro de continuar tendo sua liberdade de expressão, longe do malabarismo comunista do atual governo, Lula da Silva.



Essa história de canalizar verbas de propagandas, por parte do governo federal, usando apenas a ideia de apoio político pelo canal televisivo, ou Rádio, faz parte da agenda do Lulopetismo, desde seu primeiro governo, nesse último, com o espírito de vingança e o ódio fazendo parte de sua tática administrativa, era lógico que a perseguição aos canais independentes iria ser sacrificados dentro de tudo que fosse possível, e a parte mais sensível de uma empresa é financeira.



Demorou para que esse caso de profundo rancor viesse à tona, infelizmente, o Brasil virou em um verdadeiro sentimento de raiva e ira por parte do governo central. Acredito que esse é o primeiro governo brasileiro que persegue o seu povo, mesmo sendo eleito por ele, trata-se de uma mágoa incontrolável, não sei se o Sigmund Freud, se vivo estivesse, teria uma explicação lógica para esse apego tão forte ao seu antecessor, como o atual presidente da República tem.



Virou moda na administração do país, os três Poderes se entrelaçarem, não de forma consensual, porém, tipo invasão de campo, uma verdadeira mixórdia. O que deveria ser uma assistência mútua de apoio e coesão esse fato se transforma em verdadeira disputa de protagonismo, em tentativa, até vulgar, para sabem quem manda mais, nessa barafunda sobrou até mesmo para os flagelados, moradores de ruas.


A competência constitucional não é do Judiciário, entretanto, como tudo anda confuso, o ministro do STF, Alexandro de Morais, tomou para si as dores dos moradores de ruas e suas desditas. Determinou que os Executivos, Federal, estaduais e Municipais, façam um plano de ação para que essa parte da sociedade, de vida temerária, e seja apresentado um estudo de viabilidade de sobrevivência, garantindo direitos enquanto essas pessoas estejam em situação de rua.



Confesso aos senhores, que sendo uma iniciativa humana, há nessa situação ausência de ação por parte dos Executivos, desde da última Pandemia, bem antes também ocorria negligência por parte das autoridades, o que fica feio e chato é providências serem pedidas por intromissão ou invasão de competência, tudo isso vem demonstrar que estamos sem eira nem beira, verdadeira promiscuidade administrativa nesse país de meu Deus.



Tirando os desvios de competências, se faz necessário uma atitude por quem de direito para desafogar esse caos que foi transformado os centros das principais cidades do Brasil, há pessoas que dormem sob marquises de prédios comerciais, quando não, acomodados pelo chão úmido ou quente, agarrados a uma árvore, exalando, por plena penúria, cheiro desagradável, por ausência de higiene pessoal, é profundamente lamentável esse tipo de situação de um ser humano.



Aqui em Ribeirão preto temos locais onde se servem refeições ao preço de R$ 1,00, para essas pessoas em dificuldade de se alimentar, muitas vezes passo e vejo filas enormes de pessoas em busca dessa alimentação, trata-se de um projeto tocado pelo Poder Estadual e Municipal, inclusive não é mérito apenas de Ribeirão, outras cidades mantêm esse tipo de apoio social, o que deveria ser expandido para todas as cidades com moradores de rua. Isso é um fato real.





Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista








































































9 visualizações0 comentário

Σχόλια


bottom of page