top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Natal de Muitas Lembranças

Atualizado: 1 de jan. de 2019


Para a grande maioria das pessoas cristãs assim como eu, principalmente aquelas nascidas nos anos 60. 70 e 80, do século próximo passado, mantém vivas as lembranças das antigas noites de 25 de dezembro quando era comemorado o aniversário de nascimento do menino Jesus, ainda hoje o é, de forma e tradição igual, evidentemente com o decorrer do tempo muitas coisas foram incorporadas as tradições milenares e seculares. O que continua irretocável é a fé que se mantém firme e inabalável no coração e mente dos homens, claro que as formas e jeitos de comemoração foram se adaptando e adequando a cada Nação cristã com suas tradições regionais e locais.


Lembro-me perfeitamente, já no final dos anos 50, no sertão nordestino, às noites quentes de verão eram invadidas pelos sons das antigas rádio vitrolas, equipamento estereofônico, produtor dos sons partindo dos discos fabricados em cera, normalmente os LPs, de 78 RPM, inicialmente com impressão de duas faixas, sendo uma do lado A e a outra denominada lado B; na sequência surgiu os compactos simples e duplos, com 1 e 2 faixas de cada lado respectivamente e agora em rpm menores, ou seja: 16, 36 e 45 rpm (rotação por minuto).


Com o advento da indústria fonográfica as músicas natalinas passaram a ser um produto de mercado promissor e assim foi

feito uma reserva de mercado aos cantores de sucesso em cada época. Aqui no Brasil vários foram os artista que gravaram e ainda gravam nesse segmento. Podemos destacar alguns desses cantores e músicas de muito sucesso, tais como: Simone (Então é Natal), Ivan Lins (Um Feliz Natal – Feliz Novidad), Marcus Viana (Bate o Sino – Jingle Bells), além dos amigos, conjunto formado pelos cantores sertanejos Leandro e Leonardo, Zezé de Camargo e Luciano e Chitãozinho (várias foram as músicas natalinas gravadas por eles).


A noite de Natal foi sempre engalanada com presépios bem compostos pela família de Jesus Cristo, o homenageado, Seus pais José e Maria, os animais sempre expostos, carneiros, bois, cavalos e a presença dos três reis magos completam aquele cenário; as luzes dos pisca piscas representando a vida do menino Jesus cria o clima de esperança para a humanidade.


Em outros textos tive oportunidade de escrever a respeito das trocas de presentes entre familiares, com a participação dos adultos e crianças, ainda amigos mais próximos que se reúnem para participar da ceia. É claro que nem tudo é tão festivo como deveria ser, muita gente faz grande sacrifício para manter a tradição em função dos gastos que chega ser exorbitante, mesmo que cada núcleo familiar procure se mantiver dentro da sua realidade.



Entendo que a mentalidade consumista explorada pelo mercado de estímulo as vendas desenfreadas ajudam na participação dessa situação fora de qualquer propósito. Devemos nos manter sem exageros, Jesus Cristo não exige de nós esse tipo de sacrifício ele quer que fiquemos unidos em orações, pois a nossa presença acompanhados de nossos familiares é suficiente para ele continuar nos amando como sempre nos amou e nos desejou e deseja a felicidade plena para todos nós e a efetivação do seu querer vai depender do nosso comportamento ante os nossos desejos e pecados. Feliz Natal.





Genival Torres Dantas

Poeta e Escritor

genivaldantas.com.br

5 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page