top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Na política a empáfia é um pecado mortal (18/04/2020)



Depois de demitir o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, o Presidente Bolsonaro deu entrevista ao canal de TV CNN, um verdadeiro acinte ao Legislativo, mesmo Bolsonaro tendo se empenhado em direcionar suas palavras ao Presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia. Foram palavras fortes e descompensadas, provocando, na sequência uma série de reações no mundo político e consequentemente reação do próprio Rodrigo Maia, nivelando o assunto no mesmo nível, ou seja, por baixo.

De repente, quando tudo parecia que a situação estava contornada entre o Presidente Bolsonaro e o DEM, o barco virou novamente e o combate agora era entre os dois oponentes de sempre, Bolsonaro e Rodrigo Maia, para piorar a situação, mesmo o Presidente da Câmara alegando que Bolsonaro lhe jogava pedras ele, Rodrigo, retribuía com flores, mesmo assim, o ofendido passou a ser o Ministro da Economia Paulo Guedes, acusado de não falar a verdade, ou seja, mentiroso.

Isso não me contaram, eu vi e ouvi pela própria televisão, confesso que fique pasmo! Pela primeira vez passei a ser testemunha de acusações tão ásperas, de duas autoridades da República, com colocações cujo português foi de envergonhar qualquer pessoa de bom senso e bons costumes.

Naquele momento passei a entender a verdade da demissão do agora ex-ministro Mandetta, verdadeira politicagem, quando as qualidades profissionais do homem são suplantadas pelo egoísmo do outro, passando a valer a máxima imoral: mando eu que tenho mais Poder e uma caneta; entretanto, muitas vezes a caneta de tão pesada, em vez de assinar em passa a borrar.

O pior é que o assunto não foi superado, o Presidente Bolsonaro no decorrer da semana tentou vários líderes políticos do famoso Centrão na tentativa de minar o poder do Presidente da Câmara, segundo jornais de circulação, oferecendo cargos no Poder Executivo aos partidos que viessem apoiar o projeto político e administrativo do Bolsonaro, se, efetivamente, esse fato for verdadeiro, o Presidente lança por terra seu maior trunfo que é de administra o País sem o “dando é que se recebe”, o que ele considerava política velha, ainda, decepciona todos aqueles que lhe apoiaram até agora.

Estamos passando por um momento de extrema gravidade na área da saúde e não precisamos de mais um prelúdio de uma guerra entre Poderes, era só o que faltava. Precisamos cuidar dos nossos doentes e mortos com dignidade, coveiros já têm os contratados pelas prefeituras e, certamente, estão desempenhando seus papeis com responsabilidades.

Pedimos encarecidamente, se os senhores políticos não tenham, ou sentem-se incapazes de executarem as tarefas nos cargos para os quais foram eleitos, ou têm vergonha do cargo que ocupam, por favor, desocupem as respectivas gavetas das suas escrivaninhas e voltem para a insignificância de onde vieram.

Temos uma população de 215 milhões de brasileiros, dentre esses, com certeza, há uma quantidade de homens e mulheres capazes de ocuparem os cargos que os senhores apenas ostentam, mas não justificam a ocupação dos mesmos, nem técnica e nem moralmente, pela incapacidade generalizada, tanto na horizontal como na vertical, salvando-se alguns poucos sobreviventes desse vergonhoso grupo.

Precisamos de homens voltados as causas da Pátria, mormente nessa hora de agonia e perdas de vidas, renegamos qualquer apoio aos que trabalham em benefício próprio e em nome de carreira política, do lucro fácil; mais uma vez afirmamos aqueles que não têm projeto de País que procurem seus pares em outras terras devassadas e expropriadas.

Foi tentado fazer do Brasil essa terra dos bastardos ou filhos de ninguém, menos do Brasil, por isso e por tudo isso, deixem os brasileiros de fé e esperança tocarem o projeto de brasilidade, o ódio é para ser plantado em terras malditas.


Genival Torres Dantas

Poeta, escritor e Jornalista



1 visualização0 comentário

コメント


bottom of page