top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Fragmentos do diário de um idoso hipocondríaco












Novo governo velhas práticas 11/10/2023




A pedido de um amigo, comecei a ler o seu diário, para depois de harmonizado viesse a ser enviado para confecção de um livro, que seira distribuído entre familiares e amigos, a tarefa não era tão difícil, estava fazendo apenas um favor ao amigo de longa data. Antes das análises procuro ler alguma coisa começando pelo fim, nesse caso me deparei com uma situação mórbida, meu amigo era um hipocondríaco sem meio termo, estava lotado naquele contexto desgraçadamente.


O difícil era não identificar nos seus autodiagnósticos qual doença ele não era portador, a situação piorou depois que ele leu um artigo em um matutino, ainda em operação, cujo tema era a evolução da doença, AVC, saindo de um patamar, em 2020 (6,6 milhões) para 2050 (10 milhões) de pacientes afetados por esse caso diagnosticado pela medicina e mapeado pela organização mundial do AVC, essa leitura levou o meu amigo ao extremismo da hipocondria.


Ele que nem trabalhava mais começou a ter a percepção de que viria a perder seus rendimentos de aposentado, pois a crise ia fazer o governo a não honrar seus compromissos com, principalmente, os aposentados, a informação era uma dose letal para sua situação em decorrência do seu quadro crítico e sempre evoluindo para óbito, além disso o governo não tinha condições de arcar com as despesas futuras daqueles mortos e pacientes sobreviventes, mas com sequelas, de R$ 4,5 trilhões, para R$ 11,8 trilhões.


Meu amigo passou a ter certeza da sua morte por essa doença que se não o matasse ele ficaria recolhido a uma cama, pois todas as doenças que causavam o AVC, ele era portador, como a doença afetava mais nos países pobres, o Brasil participava desse grupo, sendo que os mais pobres da população eram tidos como os mais vulneráveis, meu amigo, além de pobre era assistido pelo governo, que vivia com uma sobrecarga no sistema de saúde, tendo que fazer escolhas nas suas triagens, atendendo primeiro aos mais graves, portanto seletivo.


Meu amigo extrapolou todos os limites, tentava encontrar alguém que o financiasse em uma passagem só de ido para a faixa de gaza, ia ser voluntário, para guerrear contra os israelitas, defendendo, portanto, os Hamas, seu intento era abreviar sua vida, ainda, sair da vida como um herói de guerra. A única saída foi indica-lo para um tratamento psiquiátrico e engavetar aquele projeto atoleimado, informando aos seus parentes mais próximos da sua grave situação para que ele pudesse ter um acompanhamento de perto. Isso é um conto, mas poderia ser real no momento que estamos vivendo.





Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista










































































2 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page