top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Como a Esquerda brasileira é paradigmática ao supliciar algo









Velhos vícios, trapos remendados                   21/01/2024

 


Muitas vezes eu me sentencio ao me indagar se não estou sendo demasiadamente crítico quando faço injunções com a Esquerda, aquela mesma porção da Esquerda que sempre a considerei malévola e açodada quando ela tenta julgar, muitas vezes levianamente, mormente contra a Direita que se reserva o direito de ser conservadora, integra e defensora da moral, bons costumes e da família.

 

Como essa Esquerda, representada majoritariamente pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e seus satélites partidários, reconhecidamente uma divisão dentro da política brasileira, composta por elementos voltados para os malfeitos de repercussão internacional, cuja extensão vem desde 2003, ano do primeiro mandato do Lula da Silva, tido e havido como um comunista assumido.

 

De lá para cá nada mudou, pelo contrário o quadro depreciativo comportamental tem piorado sistematicamente, elevando a palidez moral do seu afresco, emoldurado nos seus painéis distribuídos pelos murais dos guetos da vida, quando estão se preparando para os golpes contra o erário público, quando não aliciando empresários corruptos tais quais os que fizeram a maledicência da Lava Jato.

 

Para justificar meu raciocínio surge um comentário, genuinamente fora de propósito, e por ironia do destino, comentário do ex-presidente do PT (José Genoíno) ex-deputado federal, dizendo achar interessante a ideia de boicote a determinadas empresas de judeus e a empresas de origem do Estado de Israel, não bastava a destoante declaração do Lula da Silva, taxando-os de genocidas.

 

Esquecem esses senhores que os Judeus e Israelitas, são pessoas que devem ser bem tratados por nós brasileiros, que temos muitos compatriotas com sangue deles correndo nas suas veias, ademais somos uma miscigenação, portanto devemos respeitar os descendentes de índios, caboclos, negros, amarelos, brancos, mulatos, sem qualquer preconceito ou racismo, fazemos parte de uma grande família.

 

Claro que essa porção de pessoas infelizes, que por uma questão ideológica, se sente no direito de tratar as outras pessoas com indiferença e pouco caso, esses deviam olhar para o seu passado e presente, cuidando mais da sua vida de incoerências, de práticas nada Republicanas e se isolarem dentro das suas insignificâncias, pois elas não têm moral para supliciar quem quer que seja.

 

Hoje temos que conviver com um sistema conduzido por uma gentalha que não tem nenhum apreço pela Pátria e os patriotas, vêm desconstruindo a família desde o berço até a universidade, com programas educativos moldados na imperícia dos devolutos culturais, cuja cartilhas servem apenas para os obtusos das suas confrarias divulgarem o ódio e a tragédia preconizada pela sua ideologia macabra.

 

 

 



Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista

 

 

30 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page