top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Com práticas nefelibatas não chegará à eudemonia



Os abjetos que fazem a política brasileira, composta da esquerda e parte da direita comunista e socialista, faz muito tempo que tangenciam o diapasão da intolerância, vêm destruindo a democracia no desejo de implantar um sistema de práticas nada republicanas democratas. Nos últimos sete governos compostos de nove mandatos, contando com dois impeachments, o saldo foi devassador, único governo que não teve tantos desmandos foi o de Itamar Franco, no mandato tampão, em substituição ao Fernando Collor de Mello; tudo isso depois de 1985.


A mais terrível administração que tivemos foi nos quatro mandatos, incompletos, da era petista, o mais corrupto de todos os tempos, composta por delinquentes, mitomaníacos e gangsteres, cooptada por pessoas amigas do alheio, não se importaram em estuprar a Pátria, saqueando seus cofres, implodindo a economia, sucateando nossas escolas e hospitais, numa verdadeira gestão de incongruências, vilipendiando principalmente os mais pobres, usados como escudos e em nome desses diziam governar.


Agora, numa nefelibata anedótica os apedeutos da democracia se apresentam como representantes da eudemonia, tentando novamente se incrustar na sociedade, buscando novas oportunidades políticas como se nada tivesse acontecido nos seus governos. No meio desse descalabro surge na imprensa notícias de hackeamentos de centenas de telefones pertencentes a políticos, ministros, inclusive do Judiciário, além do próprio Presidente da República, ocorrência encabeçada por um hacker, conhecido no meio criminal como Walter Delgatti Neto, (alcunha de Vermelho) e participação de três comparsas: Gustavo Henrique Elias Santos, Suellen Priscila de Oliveira e Danilo Cristiano Marques.


Esses elementos, com exceção da Suellen, têm vasto currículo junto a Justiça, com passagens nada recomendadas e recomendáveis. Aliados a esses nomes estão o jornalista Gleen Greenwald, do intercepto Brasil, e a ex-deputada federal Manuela D’Ávila, essa última teria sido comunicada da existência de material comprometedor à Operação Lava Jato, nada mais sendo acrescentado. Todas as autoridades que fizeram ou fazem parte dessa operação, Lava Jato, foram alcançadas pela ação criminosa dos aludidos bandidos.


O que mais intriga é a ira da esquerda brasileira que culpa o hoje Ministro Sergio Moro, como responsável pelo escândalo deles, o antigo Juiz do caso, Lava Jato, tem a única culpa de não abnuir com o mal feito, por tanto, condenar em primeira instância e, dos seus atos, delineando várias condenações para prejuízo dos delinquentes formais da nossa República. Para formalizar o descontentamento do grupo inoperante da política nacional, o PT (partido dos trabalhadores), entra na Justiça com pedido de prisão e afastamento do cargo, do Ministro Sérgio Moro, dia 26 último. Verdadeira indolência daqueles que se faz de inocentes e impolutos.


Genival Torres Dantas

Poeta e Escritor

genivaldantasrp@gmail.com

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page