top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

O que fica é a importância da mãe em nossas vidas

Atualizado: 17 de mai. de 2019



Temos o hábito de misturarmos nossos sentimentos, com vínculos comerciais, normalmente criados pelo capitalismo explorador do homem pelo próprio homem. Assim não é diferente que visualizemos e passemos a verbalizar o dia reservado às mães, no seio familiar. A história nos mostra, desde a idade antiga, com a invenção da escrita, 4000 a 3500 a.C, até a idade média 476 d.C (início), há relatos sobre a mitologia materna e o fenômeno da fertilidade. Antes de Cristo o assunto era versado em torno da Rhea, mãe dos deuses, na Grécia antiga, com achados dos papiros Eva começou a tomar conta do imaginário da civilização, para depois da passagem de Jesus Cristo, sua mãe, Maria, ou nossa senhora, foi adotada como mãe dos Cristãos Católicos e outras religiões que seguem a mesma linha sem a devoção que há no catolicismo.


No século XVll a Inglaterra instituiu o quarto domingo da Quaresma, liberando as funcionárias para comemorarem o dia com suas respectivas mães, identificado como Mothering Day, sequenciado pelo Mothering Cake, com suas festividades. Nos EUA consta que foi pela lembrança da escritora Júlia Ward Howe que em 1872 a data foi revitalizada. Apenas no início do século XX, os americanos celebraram a data em homenagem a uma mulher crente e frequentadora da Igreja Metodista, Ann Jarvis, depois da morte de sua mãe e apoio de outras mulheres, consegue fazer um Culto em homenagem à falecida, deixando registrado como a primeira homenagem religiosa com essa finalidade. Isso ocorreu em maio de 1905, cidade de Grafton, Estado da Virgínia Ocidental, a importância do fato era para mostrar as crianças à importância da mãe em nossas vidas.


Temos notícias que em 12 de maio de 1918, em uma Associação Cristã de Moços de Porto Alegre foi comemorado o dia das mães, o tema foi expandido para outros locais e Estados. Apenas em 12 de maio de 1918, no governo provisório de Getúlio Vargas (Era Vargas), passou a ser comemorado o dia das mães e firmado o segundo domingo de maio, como dia oficial, tal qual já era feito nos EUA. Para lembrar as próximas comemorações, anote: 2019 - 12/05; 2020 - 10/05; 2021 – 09/05; 2022 – 08/05 e 2023 – 14/05.


No rastro das comemorações familiares o comercio não podia ficar apenas observando e perdendo a chance de explorar o sentimentalismo do ser humano e transformou a data numa importante oportunidade para substanciar suas vendas, tornando-a mais importante, comercialmente falando, como dia dos pais, dos namorados e Páscoa.

Não fora a interveniência do mundo capitalista, comercial, apenas a presença da imagem da mãe já seria suficiente para justificar a homenagem que prestamos a ela, não só pelo que representa na sociedade e sua formação e educação no caráter dos filhos, muitas vezes lutando contra a insensibilidade do pai, por questões outras releva o presento e o futuro do filho a importância de coisas menores, nesse momento ela se impõe, demonstra toda sua capacidade de sendo e responsabilidade e carrega a bandeira da justiça e fé, tornando muitas pessoas, muitas vezes pequenas, em termos de posição social, em verdadeiros homens de moral, cultura e civismo, além de grandes pais e competentes maridos.


Muitas verdades são escondidas da memória para que algumas mães não chorem pelo seu penar, em tempos não tão distantes, quando às vezes com fome ou mal alimentadas, elas seguiam ou seguem nos seus trabalhos, espinhosos e ultrajantes. Aquelas que pela sobrevivência do filho, não mediam e nem medem esforços, tendo até que vender o corpo, como se dizia antigamente, permitiam que usassem ou usem e abusem dele, para satisfazer a tara dos sem compostura. como abuso de beira de mesa, quando não repugnada, do asco que lhe causavam certas companhias momentâneas. Apenas e simplesmente, no final da noite ou começo da manhã, levava e leva a pequena quantia para comprar alimentos ou remédios, criando sobrevida ao seu mais querido amor, que era ou é o filho. Essas representam as verdadeiras heroínas de um País e filhos desmemoriados.


Por essas e outras, parabéns mães solteiras, casadas, amancebadas, namoradas, ficantes, ou qualquer outra condição, o importante é que você mãe, seja reconhecida em todos os adjetivos qualificativos, modos e tempos do verbo, línguas, povos e religiões.


Genival Torres Dantas

Poeta e Escritor

genivaldantas.com.br

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page