top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Brasil, um país de muitos problemas e poucas soluções (05/06/2021)




O Fato Sem Politicagem 05/06/2021


O que vem ocorrendo com o Brasil nos últimos dos anos e meio é exatamente a realidade de uma Nação que virou um poço de problemas em curso acarretados pela ineficiência governamental, o desinteresse de resolvê-los, por quem de direito, um governo Federal mais preocupado com a possibilidade de reeleição, considerando a atual gestão apenas como um trampolim eleitoral, sem a menor noção do que seja administra um país do tamanho e a importância que tem o Brasil.


Aliado a esses fatores negativos no Executivo, os demais Poderes mais preocupados com o protagonismo das suas posições, com interveniência branca e geral, no Executivo, tirando toda e qualquer ação por mais elementar, que seja e ocorra uma participação, tanto do Legislativo como do Judiciário, a população, sempre ela é prejudicada nas suas necessidades, quando muitas ações são postergadas, ou mesmo anulada, para atendimento de um questionamento.


O maior grau de dificuldade verifica-se quando o próprio Executivo fornece material abundante, com seus colaboradores para que os outros poderes sintam a necessidade de se interpor buscando soluções, principalmente o Judiciário sempre provocado pelo Legislativo, em verdadeira guerra política, corroborando, sempre com a crise instalada entre os três Poderes, que ficam se alfinetando em atos desnecessários e injustificáveis, mesmo que sejam Legais.


Nesta última que semana em que encerramos hoje muitos fatos extrapolam o bom senso, o caso do ministro do meio Ambiente, Ricardo Salles, vem ficando insustentável para o governo Bolsonaro, por mais que o Bolsonaro o ache um excepcional colaborador, pelo atual estágio em que o ministro se encontra, nesse momento em que o ministro Alexandre de Morais, STF, pede manifestação da PGR, para afastamento e até prisão do ministro Salles, o Executivo precisa reagir.


Todas as investigações que recaem sobre o ministério do Meio Ambiente e órgãos vinculados a esse ministério reforça a tese que o ministro sendo afastado, preliminarmente, fica de bom tamanho para todos, tanto a Polícia como a Justiça Federal teria mais espaço para trabalharem sem a preocupação de algum risco de constrangimento nos levantamentos feitos nos trabalhos realizados pelo ministro e seus subordinados, uma questão de clareza até.


Outra situação que parece não conjuminar na extensão política e exporte, refiro-me a Copa América, questionada por muitos políticos e parte da imprensa, principalmente a imprensa televisiva que perdeu o patrocínio do futebol praticado nessa copa, tenta imiscuir uma decisão do Governo Federal fazendo alegações, que de fato não são verdadeiras. Para piorar, a própria equipe de futebol tenta argumentar que os atletas não foram consultados da mudança do local dos jogos, como se a esses fosse reservado o direito de opinar sobre esse tipo de situação, compete aos atletas jogar.


Mesmo que a comissão técnica, da seleção brasileira, ainda não tenha emitido opinião a respeito, é sabido que o técnico Tite é partidário do outro grupo político, encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Essa mistura de política e futebol não é salutar ao nosso esporte, a seleção já carrega problemas de mais, apesar de 100% de aproveitamento, não é preciso que coloquemos, gratuitamente, pedras no seu caminho.


O caso Pazuello que ficou sem punição do Exército, por ser da ativa e ter ocupado palanque ao lado do Bolsonaro é outro assunto desgastante. Compete ao Comando do Exército julgar, condenar ou não, seus oficiais. Infelizmente esse caso está sendo tratado de forma política, como há uma CPI em andamento e o general tem envolvimento direto, estão dando muita importância para justificarem, talvez uma sentença e em andamento.


É preciso que as coisas sejam esclarecidas sob a luz da verdade, sem ódio, revanchismo, ou mesmo partidarismo, precisamos baixar as armas, abrir o espírito e se alimentar de postura com dignidade, sem presunções ou achismos.


Se continuarmos fazendo de conta que estamos avaliando uma situação passada já vinda com resultados prontos e irrevogáveis, certamente, caminharemos para o absurdo e o ridículo, precisamos ter decência e ponderação nas nossas atitudes.


Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista







4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page