top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

Assim será o descaminho da humanidade (29/09/2021)








O Fato Sem Politicagem 29/09/2021


Para avaliarmos as dificuldades que estamos atravessando ultimamente, em âmbito mundial, se faz necessária uma reflexão mais profunda e abrangente, buscando informações pelo menos do início do Jurássico, há 225 milhões de anos, até o final da Cretácea, há 65 milhões de anos, compreendido com era Mesozoica; não se esquecendo de inserir nesse contexto de avaliação o dilúvio com invasão do Mar Negro pelas águas do Mediterrâneo, há aproximadamente 12 mil anos, decorrente do degelo das calotas polares, ocorrido no último período glacial.


Esses períodos são sempre lembrados com a participação direta da natureza, com eliminação das raças dominantes, ficando o último período glacial com o testemunho de alguns animais, tidos irracionais e do próprio homem, exceto a família do Noé, dando a entender a continuação do Ser humano. Não vou entrar no mérito do adão, Lilith e Eva, para não embolar história com a Bíblia sagrada, muito embora ela represente muitos fatos históricos e suas controvérsias.


O que quero lembrar é o fato que quando ocorreu o dilúvio com ajuda das 40 noites e dias, o momento já era um verdadeiro mar de lama em termos de corrupção entre os humanos, portanto essa prática de crime já faz parte do nosso DNE, conservando essa tradição até os dias de hoje, fica convencionado que a natureza não gosta de gente como a gente que vive no meio dessa prática desumana, transformando os iguais em desiguais.


Eu entendo que a natureza é gosta do equilíbrio, tendo reservado cada espaço, pelo menos no planeta terra, aos seus ocupantes e suas possibilidades de sobrevivência equitativamente, porém o homem, que se considera o mais inteligentes dos animais, é possuidor de sentimentos inerentes somente a ele, usura, inveja, ira e ódio. Essas qualidades desqualificativas tornou o animal que não se conforma em ser ele precisa ter e muito mais que os demais da mesma raça.


Sempre foi assim, em qualquer sistema de governo ou ideologia, até mesmo nas religiões há a presença do sentimento de posse, os deuses de qualquer natureza querem o espírito do homem como recompensa dos seus favorecimentos, seja ele o Deus do bem, ou do mal. A grande diferença deles é a ausência de um deles, um não fica na presença do outro, é como a vida e a morte, quando a morte chega à vida se esvai.


Trazendo a história para os dias atuais nossa geração está escrevendo nossa história no limite da resistência da natureza, dando claras evidências que ela não anda nada satisfeita com nosso comportamento em seu planeta terra. A humanidade tem, na proporção que evolui intelectualmente, acentua-se seu desprezo pelo seu habitat, criando dificuldades para o próprio homem, na tentativa de criar facilidades para sua passagem pela terra vai destruindo tudo que encontra pela frente.


Dessa forma, o homem deixa a planeta pior quando encontra, limitando suas riquezas naturais, destruindo a fauna e a flora, envenenando suas águas, sujando suas terras, tornando-as inabitáveis.

O que tem ocorrido ultimamente é vergonhoso, estamos repetindo os erros dos nossos ancestrais, estamos produzindo o que há de pior pelo nosso espírito de destruição, quando tudo terminar em um deserto inabitável não vamos ter para quem chorar, decretaremos nosso extermínio.


A situação extrapola a razoabilidade quando em nome de uma globalização, os comandos dos países, mesmo que independentes, são conduzidos de forma sorrateira a tomarem um só rumo e em direção de um único governo, mesmo a religião há um exército de senhores tentando transformar as diferenças em simpatias na busca da unidade universal, esse intento não estar muito longe, a Sociedade Fabiana já é uma realidade bem próxima de nós.


Não adiante fugirmos das bestas incrustadas em nossa sociedade, há delações da sua permanência entre nós, o socialismo vem em fase de expansão, esse é o primeiro passo a se efetivar um Comunismo disfarçado. Usa-se até o nome de Deus como argumento de convencimento para atrair a simpatia da população, aqui no Brasil, tem um presidente usando o nome de Deus para justificar sua incapacidade de gestão e permanecer simpático ao eleitorado. Nos EUA a situação é idêntica.


Com os desastres ecológicos sendo mostrados por toda fase da terra, vamos definhando dia a dia, sucumbindo ao fracasso das nossas atitudes, nossas autoridades relevam nossa irresponsabilidade para com o trato com o meio ambiente, face ao indeterminismo recorrente que temos evidenciado, estamos diuturnamente acabando com nosso manancial de água doce, intoxicando o ar, matando nossos animas e destroçando nossas matas.


Tínhamos toda chance de passarmos para a história atual como defensores do eco sistema, com práticas de solidariedade para com a natureza, preservando nossas riquezas minerais tão exploradas e nada sendo feito pelas autoridades competentes, o governo federal ainda passa a mão na cabeça dos devastadores de nossas terras, com derrubadas de árvores e eliminação das remanescentes com fogo e atos impróprios.


Acredito que estejamos próximo do fim, o tempo está muito curto para tomarmos providências que justifiquem nossa permanência sobre uma terra que ficará devoluta na sua totalidade, a sociedade civil depois de explorar seus espaços adquiridos colocarão suas glebas a disposição do poder público, como quem sendo generoso com o seu próximo, o que de fato ocorrerá é o desejo do nefasto tentar se desvencilhar de um eterno problema, até o desfecho final.


Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista









4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page