top of page
Buscar
  • Foto do escritorGenival Dantas

É triste e melancólico um presidente sem Partido Político





O Fato Sem Politicagem 09/11/2021


Depois de passar por oito legendas e no exercício do seu mandato de presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, aquele que não tem nenhum apreço por correligionários e Partido Político, ter zigzagueado por entre partidos de diversas ideologias, tendências e reputações bem diversificadas; ostentando, ainda, a tentativa de criar um partido, denominado de Aliança pelo Brasil, apenas para chamar de seu.



Com a aproximação das eleições para 2022, o presidente Bolsonaro continua engatinhando uma chance de se filiar a qualquer partido, depois de ter buscado essa oportunidade em várias Siglas Políticas sem ter alcançado o seu intento. Até agora e durante seu mandato, Bolsonaro tentou guarida em alguns partidos, sem ter conseguido sucesso no seu intento. Ele procurou alguns partidos como com o perfil voltado para o seu objetivo.



Nessas tentativas ele buscou o Republicanos, Patriota, RTB, finalmente o PL, presidido por Valdemar Costa Neto, velho conhecido na política nacional pela sua aproximação com a Lava Jato e sua história, dentro do contexto nacional, ademais, esse Partido faz parte de tantos outros, que mantêm filiados participantes do grupo independente, denominado de Centrão, cujo conceito não podemos reputá-lo como um dos melhores.



É triste, mas é real, a situação do Bolsonaro não é muito boa quando se trata de filiação partidária, com ele vem desenvolvendo um trabalho muito aquém das possibilidades de um presidente da República, sem nenhum protagonismo que possa leva-lo a condição de favorito para as próximas eleições, caso ele tente a reeleição, muitos Partidos procuram criar dificuldades na sua filiação, para não perderem apoio dos seus eleitores.



Não conheço na história Republicano brasileira, algum presidente da República, em pelo exercício do seu mandato, ter encontrado resistência na sua filiação em outro partido, quero crer que esse seja um caso atípico. Essa situação anômala é decorrente da sua total falta de crédito junto ao povo brasileiro, que enxerga nela a possibilidade de uma continuidade desse governo desastroso e desastrado, só comparável ao período do Lulopetismo.



É chegado o momento que essas duas figuras esdrúxulas, Jair Bolsonaro e Luiz Inácio da Silva, deviam nos dar o prazer das suas ausências na disputa para o próximo ano, depois de tanta coisa ridícula apresentada por eles, é preciso que esse espaço político seja preenchido por gente que tenha algo a ser acrescentado ao Brasil. Temos uma dupla verdadeiramente desmoralizante, um é o protótipo da corrupção, o outro, paradigma da desconstrução e insolência.



Pelo desenrolar dos fatos, temos pouca gente que possa se dignificar no pleito próximo, os que estão colocando seus nomes em jogo, são pessoas já experimentadas em outros cargos e posições, não tendo provocado nenhum motivo de euforia, pelo contrário, representam o mesmo de sempre, muita demagogia sem apresentações de projetos de governo viáveis e possíveis. Portanto, se você se sente capaz apresente-se o Brasil precisa de um presidente, sério e competente, habilite-se.


Genival Dantas

Poeta, Escritor e Jornalista










9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page